1. Dica de Webserie: Carmilla the Series

    Olá, olá e olá pessoal! A dica de série hoje é para afugentar aquela mácula deixada pelos filmes, séries, quadrinhos, livros sobre vampiros feitos por Hollywood (E que pelamordeLoki tá dificil alguém acertar a fórmula!), apresento a vocês, nerds leitores de nosso querido blog a seguinte websérie: Carmilla Series.
    Carmilla: O Amor tem seus sacrifícios.

    Sinceridade? Já temos muitos #EpicFails sobre vampiros, sério. Depois o que certo vampiro stalker que brilha no sol como milhares de diamantes e variantes, a tia Arroz (Anne Rice) lançou um novo livro do vampiro Lestat, True Blood acabou, The Vampire Diaries e The Originals continuam e a gente perde até a vontade de ver algo na temática.

    Mas não deixarei vocês desapontados: Carmilla the Series tem conteúdo!

    A iniciativa independente de uma produtora canadense, Smokebomb Entertainment, de fazer uma webserie baseada em um clássico da literatura em formato de blog - como a famosa Lizzie Bennet Diaries (baseada em Orgulho e Preconceito da Jane Austen) - pareceu loucura em primeiro lugar. Conseguir o apoio e financiamento do projeto através de uma empresa de absorventes (Várias e várias piadinhas infames sobre vampiros e ciclo menstrual, lalalalalala) U by Kotex e finalmente ganhar 36 episódios de no máximo 7 minutos no canal do YouTube da revista teen VerveGirl? Não, isso não deve ser tão terrível assim...

    A novela Carmilla do irlandês Sheridan LeFanu, publicada no século 18 é cheia de terror gótico e aquele pudor vitoriano que faria Drácula tremer no caixão, e há quem diga que o próprio Bram Stoker se inspirou para criar o famoso vilão vampiresco após ler LeFanu. O texto tem seus deslizes monumentais, mas com todos os traços do vampiro clássico, no caso Carmilla, a sedução, a atmosfera lúgubre, castelos no meio do nada, névoa saída do nada, aquela preferência em atacar jovenzinhas inocentes e virginais, para então ter algum cavalheiro destemido e equipado com armas para salvar a bela mocinha.

    Capa original da novela de 1871 por Sheridan LeFanu

    Nenhuma novidade aqui né?

    Agora vamos para a websérie... Quem assina o roteiro e criação é Jordan Hall e Ellen Simpson, duas nerds de carteirinha que realmente amam o que fazem.

    Silas University, localizada no meio do nada, na pitoresca Estíria (território da Áustria), leste Europeu. Laura Hollis (Elise Bauman) é uma aspirante estudante de Jornalismo, fazendo um trabalho para ganhar uns pontos no final do semestre - quem nunca? - e resolve gravar um vlog sobre as absurdidades que acontecem na misteriosa universidade onde ela está inserida. Ela divide o dormitório (onde acontece a ação toda) com Betty Spielsdorf, uma estudante de Medicina que assina mais listas de chamadas de festas da faculdade do que em sala de aula.

    Até aí tudo bem, vida de universitário né?

    O problema é que Betty desaparece sem deixar pistas após uma festa de arromba em uma fraternidade. Perto da cama dela, Laura acha um bilhete de dispensa, cheio de meleca amarela crescendo cogumelos. Betty "saiu" da faculdade sem levar nada, inclusive seus pertences. Ao dar parte do desaparecimento, a central dos estudantes da universidade parece não estar nem aí para o ocorrido e já coloca uma substituta no dormitório: quem será? Quem será?

    "Às vezes uma garota tem que fabricar seu próprio entretenimento, sabe?"

    Carmilla Karnstein (Natasha Negovanlis) é o pior tipo de companheira de quarto que alguém poderia ter, ela é a grosseria em pessoa, rude, sarcástica em momentos nada propícios, deixa tudo desorganizado e dorme (de botas em cima da cama!) até às cinco da tarde. E só parece se alimentar daquela caixa de leite de soja ali na geladeirinha. Suspeito?

    Hollis resolve investigar o desaparecimento de Betty e tirar satisfações com as autoridades por não fazerem nada pelo caso, quando outras garotas começam a desaparecer, a jornalista dentro de nossa heroína (que mais parece uma bolinha de ansiedade, empolgação, tagarela e com uma compulsão em deixar gravando TUDO no dormitório) percebe que há algo errado nesse lugar.

    Para ajudá-la nessa empreitada há Danny Lawrence - veterana e monitora de Literatura, atleta e vice-presidente da irmandade Summer Society - a monitora de dormitórios Lola Perry e Susan LaFontaine, veterana de Biologia que não tem medo de resolver as coisas com testes dignos de CSI (amostras de DNA, digitais, experimentos nada legais com o povo do Alchemy Club e por aí vai).

    O Ginger Squad e a pequena Hollis fazendo planos contra a terrível Carmilla

    Um dos pontos importantes que Carmilla Series toca é sobre como o ambiente universitário pode ser altamente cruel e frio quanto ao cotidiano dos estudantes, sendo um assunto muito sério (desaparecimento de estudante) ser pouco levado em consideração ou até ignorado pelas autoridades. Os relacionamentos também são algo super montados no enredo, já que estamos tratando de uma garota de 19 anos, sem experiência de vida, em um ambiente completamente diferente tentando dar o melhor de si para descobrir onde a amiga de dormitório está, a própria relação antagônica entre Laura e Carmilla e as meninas que fazem parte da trama. Aliás, só tem mulher no elenco, apenas 2 secundários aparecem, o atleta Kirsch e seu amigo Will da fraternidade Zeta Omega Mu.

    (Ponto de bônus atingido! Escrever uma série com personagens femininas que são obstinadas, com seus pormenores, defeitos, dramas e caramba! Gente como a gente! Nada de estereótipos aqui!)

    Até a Laura concorda conosco sobre certos vampiros...
    Mas o que mais me interessou em Carmilla foi a quantidade incrível de referências ao mundo nérdico de nossas vidas. Você irá ver citações de clássicos como Star Wars, Doctor Who (A xícara da Laura é a T.A.R.D.I.S.), Xena, a Princesa Guerreira, The Vampire Diaries, Drácula de Bram Stoker, Buffy a Caça-Vampiros, Glee e Veronica Mars. As roteiristas também prepararam um transmedia canonverse com contas de Twitter e Tumblr para as principais personagens para adicionar mais conteúdos entre os episódios.

    A segunda temporada de Carmilla the Series estreou dia 02 de junho de 2015 no VerveGirl com episódios na terça e quinta. Muita coisa ainda está para acontecer nessa universidade.

    Sem spoilers, pessoal, basta clicar abaixo e assistir todos os 36 episódios da 1ª temporada e tirar suas conclusões quanto essa empreitada bacana - e obrigada Santa Anne Rice por deixar um legado de vampiros verdadeiros!

    Comente e compartilhe