1. Biblioteca Nerd: Vivienne Westwood de Vivienne Westwood e Ian Kelly

    Rah

    Recém formada em Design, planeja trabalhar com moda. Viciada em Harry Potter, Star Wars e na Disney. Gosta de criar sobre mundos fantásticos nas horas vagas.

    Quem me conhece, mesmo que a pouco tempo, sabe que sou apaixonada por moda, tanto que esse foi o campo de estudo que escolhi, e uma das coisas que mais me fascina na moda é suas história. Adoro estudar história da moda, desde seus primórdios até os tempos atuais, mas principalmente gosto de estudar a moda de vanguarda e das subculturas, a moda que quebra barreiras e desafia a estética mainstream. Então não é de se espantar que minha estilista favorita seja Vivienne Westwood, a mãe da estética punk.

    Ano passado a Editora Rocco publicou a biografia de Vivienne, que foi escrita por ela em parceira com o escritor e ator Ian Kelly (mais conhecido do grande público por fazer o pai de Hermione em As Relíquias da Morte – Parte 1), e é óbvio que eu fui correndo como uma louca ler assim que coloquei as mãos no livro.

    Sinopse:

    “Ícone fashion, ativista, cocriadora do punk e avó, “Vivienne Westwood” coleciona originalidade e controvérsia. Aclamada pela crítica, esta é a autobiografia da mulher por trás da lenda que influenciou e continua inspirando milhões de pessoas há mais de cinco décadas em várias frentes da cena cultural. No livro, escrito em parceria com o premiado biógrafo Ian Kelly, a estilista britânica revê os acontecimentos, as pessoas e as ideias que deram forma a sua vida extraordinária e conta, com honestidade e paixão, sua história. O livro foi apontado como uma das melhores biografias de moda dos últimos anos, considerado “honesto, envolvente e vívido”, pelo Harold Tribune, entre outros elogios.”

    Vivienne Westwood é uma setentona (76 anos em abril) que não tem nenhum plano de se aposentar ou de se conformar com o papel de senhora idosa e avó que o mundo espera das mulheres de sua idade. Essa biografia dela é apenas mais uma das provas disso.

    Esse livro traz a história de como uma simples garota de Tintwistle (uma cidade no interior da Inglaterra com menos de 1.500 habitantes) que cresceu durante o pós-guerra, ajudou a criar a estética do movimento punk, se transformou num dos maiores nomes da moda mundial e ganhou o título de Dama do Império Britânico. Tudo isso sem abandonar sua personalidade desafiadora e se deslumbrar com o sucesso.

    Vivienne provavelmente é mais conhecida do público brasileiro por suas constantes colaborações com a Melissa, que a cada nova coleção trás pelo menos dois modelos assinados pela estilista. Porém ela é muito maior do que se pode imaginar a primeira vista e tem uma história de vida que parece saída de um filme sobre superação.

    O livro é escrito em primeira pessoa tanto por Vivienne quanto por Ian, que se dividem contando os causos da vida dela. Ian durante toda sua escrita demonstra o profundo respeito que ele tem por Vivienne, principalmente depois que ele passou a conhecer todos os detalhes da vida dela, já Vivienne conta tudo com muita simplicidade e bom humor. Os depoimentos de amigos e familiares são constantes e ajudam a mostrar como as pessoas enxergam a figura de Vivienne fora do manto da celebridade.

    Essa biografia é envolvente e em momento nenhum se torna monótona (mal do qual muitas biografias sofrem), nem mesmo quando fala sobre os anos de Vivienne como professora no ensino infantil. Foi sem dúvida uma das biografias que mais gostei de ler, não só pela história que ela traz como também pelo modo como essa história é apresentada pelos autores. É incrível e inspirador ver como uma mulher nos seus 30 anos, com dois filhos pequenos e num relacionamento destrutivo conseguiu mudar não só sua vida como todo o mundo da moda, se consolidar como um dos principais nomes do século 20 e não parou desde então.

    Se você é fã de história da moda ou apenas gosta de conhecer a história de mulheres que ajudaram a mudar o mundo precisa ler Vivienne Westwood pra ontem! Esse é um livro que não canso de recomendar para todos os amigos e que foi sem dúvida uma das minhas melhores leituras de 2016.

    Comente e compartilhe