1. Biblioteca Nerd: As Aventuras de Wonder Woman na Super Hero High de Lisa Yee

    Rah

    Recém formada em Design, planeja trabalhar com moda. Viciada em Harry Potter, Star Wars e na Disney. Gosta de criar sobre mundos fantásticos nas horas vagas.

    Primeira resenha de 2017 tinha que começar com um livro especial né? Por isso o escolhido foi As Aventuras de Wonder Woman na Super Hero High, o primeiro da série de livros inspirados no projeto DC Super Hero Girls da DC Comics (que vocês tão cansadas de saber que eu adoro). Essa série está sendo escrita por Lisa Yee, uma autora norte-americana especialista em livros infanto-juvenis, e começou a ser lançada por aqui em outubro do ano passado pela Editora Rocco.

    Sinopse:

    “Wonder Woman é uma guerreira e princesa amazona. Criada na Ilha Paraíso, ela sempre sonhou em ser uma super-heroína – a melhor de todas as super-heroínas. “As aventuras de Wonder Woman na Super Hero High” é o primeiro livro da série DC Super Hero Girls, bem-sucedido projeto multiplataforma da DC Comics, com websérie no YouTube, jogos e aplicativos, além de uma linha de bonecas e fantasias. Escrita pela premiada Lisa Yee, a série apresenta os clássicos heróis da DC Comics – entre eles Wonder Woman, Batgirl, Green Lantern e Arlequina – para uma nova geração de leitores. Com foco nas jovens heroínas, a autora leva os personagens para uma escola especial onde eles aprendem a usar seus poderes e vivem grandes aventuras, enquanto passam por situações e dilemas típicos da adolescência. Uma nova roupagem para ícones da cultura pop que agrada tanto aos velhos fãs quanto aos mais novos.”

    Esse primeiro livro, como o nome bem diz, fala sobre as aventuras de uma Mulher Maravilha adolescente como aluna novata na escola de super-heróis Super Hero High. Se você já acompanha o desenho animado vai estar bem familiarizada com o tom do livro, que segue o do desenho, mas se você não conhece o desenho aviso logo que esse é um livro infantil, feito focando 100% em crianças de 7 a 12 anos. Não vá ler achando que é um livro feito para fãs adultos dos quadrinhos da DC, porque você vai dar de cara com uma linguagem bem simples e em alguns momentos até mastigadinha demais. Mas mesmo assim a história é cheia de easter eggs que só quem é familiar com o vasto universo da DC vai notar de cara, o que torna esse um livro perfeito pra ser lido entre pais e filhos.

    A história do livro começa bem similar a primeira temporada do desenho, na qual vemos a chegada da Mulher Maravilha a sua nova escola depois de ter passado a vida toda em Themyscira, a ilha das Amazonas, e sua adaptação a essa nova vida. Só que o livro se aprofunda em alguns pontos que mal são abordados no desenho, como a relação de Wondy (o apelido que ela ganha na escola) com sua mãe, a Rainha Hipolita. Porém ele também modifica vários fatos que acontecem no desenho, o que eu achei um tanto quanto confuso, porque tecnicamente os livros são o universo expandido do desenho, então deveriam seguir a história dele e não modifica-lá.

    O livro mesmo tendo uma linguagem muito infantil possui uma história cativante, que eu não conseguia parar de ler. Terminei o livro bem rápido e achei a história excelente para as crianças, principalmente as meninas que são o público alvo. Tanto que acabei dando uma cópia do livro de presente de Natal pra minha sobrinha de 8 anos.

    Mesmo o livro tendo uma história muito legal e modificando algumas coisas do desenho ele ainda tem alguns problemas da animação que me chateiam um pouco. O principal deles é o fato de nenhum dos heróis da Super Hero High ser chamado em momento nenhum por seus nomes de batismo, só por seus nomes de heróis. Até nas cenas em que Wondy está conversando com a mãe, Hipolita a chama de Wonder Woman ou Wondy, mas nunca de Diana, o que pra mim é pra lá de esquisito. Outra coisa que me incomoda é o fato de todas as heroínas e heróis terem os nomes em inglês, algo que acredito ter sido uma exigência da DC Comics. Em se tratando de uma obra pra crianças seria muito mais fácil usar os nomes traduzidos, pois as crianças são muito mais familiarizadas com Mulher Maravilha, Arlequina, Mulher Gavião e etc do que com Wonder Woman, Harley Quinn e Hawkgirl. Na verdade ter os nomes traduzidos até facilitaria a leitura para os pequenos. O fato de todas as personagens serem adolescentes no ensino médio, mas se comportarem como se fossem crianças de 10/12 anos também me chateia um pouco, mas é algo que pode ser relevado tendo em vista o público alvo.

    No fim das contas eu adorei As Aventuras de Wonder Woman na Super Hero High e super recomendo ele pras crianças, principalmente pelas mensagens de amizade, união e empoderamento feminino que ele trás. As minhas críticas a ele são basicamente reclamações de tia velha que já passou da idade de tá lendo livro infantil, mas se recusa a parar. XD

    Ah, e fiquem ligados que esse ano vai ser lançada por aqui a continuação dessa série que vai falar sobre a Supergirl.

    Comente e compartilhe